Ligue-se a nós

Nossa Casa

A História do Rio da Prata do Cabuçu (RJ)

Publicado

no

A história dessa bela localidade vem dos tempos do grande Engenho do Cabuçu, que chegava até os limites de Guaratiba. O engenho era de propriedade de Úrsula Martins, no final do século XVIII, mãe de Anna Maria da Conceição e do Sargento-Mor (patente na época de oficial superior, acima de capitão e abaixo de tenente-coronel) Joaquim Cardoso dos Santos, que passou a administrá-la a partir de 1811.

Fazia limite com as terras de João Fernandes Barata, com a propriedade de José Pereira Monteiro Torres, dono das terras do Cabuçu de Baixo, com a posse de José Justino de Silveira Machado, em Cachamorra, e com a Fazenda do Juary, do Major Agostinho José Coelho da Silva.A partir de 1820, começaram os litígios familiares na hora da partilha dessas terras.

Com o tempo, a situação foi se normalizando e, na década de 1870, a Fazenda Cabuçu já era uma importante produtora de café e aguardente. Já a Fazenda do Rio da Prata do Cabuçu (existia também a do Rio da Prata do Mendanha) teve a sua dose de litígios judiciais em meados do século XIX).No final do século, Maria Teixeira Alves, viúva do Capitão Francisco Teixeira de Sousa Alves, recebeu e aceitou uma proposta de cessão de grande parte das terras, incluindo as águas das cachoeiras do Rio da Prata (que até hoje é uma opção de lazer na região) para o uso dos trabalhos da Fábrica Bangu.

No século XIX, o Rio da Prata viveu de forma intermitente o ciclo da laranja, que tomou conta de Campo Grande e de outros bairros da então zona rural da cidade, além da Baixada Fluminense, durante os anos 1930 e 1940, principalmente. Além disso, o Rio da Prata ganhou uma linha de bondes, que ia até o centro de Campo Grande, e recebeu obras de drenagem e retificação dos seus rios na década de 1940, pelo Departamento Nacional de Obras de Saneamento do Governo Federal (DNOS).

Com isso, acabaram os problemas das águas represadas, que destruíam plantações e provocavam malária devido ao acúmulo de mosquitos transmissores da doença.Além das laranjas, que, no auge da produção, ocupavam, não só a parte plana, como também as colinas do Rio da Prata, houve grande produção de mamão na década de 1920, produzido principalmente por portugueses que haviam chegado recentemente à região. Parte da produção era vendida para São Paulo. Tomate, chuchu e hortaliças em geral, além de abacate, manga, banana e caqui também tiveram grande importância na economia do Rio da Prata.

Anúncio

Na área do Lameirão Pequeno também houve grande produção de cana de açúcar, vendida principalmente para pastelarias e lanchonetes, que começavam a proliferar no centro de Campo Grande, e onde os clientes saboreavam uma das combinações gastronômicas mais comuns da cidade até hoje, o pastel “de vento” com caldo de cana.

Após a decadência da produção da laranja, no final dos anos 1950, produção que era também exportada, os fazendeiros que resistiram passaram a vender a fruta só para o mercado interno. Hoje o forte da produção do Rio da Prata é de plantas ornamentais, embora alguns pequenos sítios ainda produzam caqui e banana, além de existir uma horta no Lameirão Pequeno e mangueiras por todo o lado.

Outra faceta demonstrada pela agricultura local, em sintonia com a preocupação cada vez maior com a qualidade dos alimentos, é a Agroprata, grupo de agricultores que trabalha apenas com agricultura orgânica e que conta com uma produção bastante diversificada.

O Largo do Rio da Prata lembra uma pequena cidade do interior, com sua praça, igrejinha, coreto e bica (dois monumentos tombados pela prefeitura do Rio em 1996), além de várias características da vida rural, que hoje convivem com um lado mais urbano também.


A área em torno da praça abriga vários restaurantes, que se espalham por um bom trecho da Estrada do Cabuçu, lotados nos fins de semana. Mas uma olhada mais atenta às fachadas de alguns desses restaurantes permite identificar traços arquitetônicos e datas de construção que remetem a tempos em que essas casas eram vendas e depósitos que atendiam aos agricultores, muitos dos quais só desciam do morro uma vez por mês para negociar as colheitas e fazer compras.

Claro que também para tomar uma cachaça de rolha, encontrar amigos e participar das festas da Igreja de Nossa Senhora das Dores e dos leilões organizados pelos fazendeiros.

Anúncio

A partir das décadas de 1940 e 1950, a Estrada do Cabuçu começou a receber também as lotadas, veículos de transporte coletivo anteriores aos ônibus, quase um parente distante das vans. Isso, aliado ao crescimento do número de automóveis e dos loteamentos que começaram a ser feitos, como o da Villa Jardim de Campo Grande, com 950 mil metros quadrados e demarcado em 1928, e também o loteamento próximo ao Largo do Rio da Prata, construído alguns anos depois, com casas boas e confortáveis, e que até hoje é conhecido apenas como “loteamento” (abriga a Escola Municipal Cesário Alvim e o Posto de Saúde Municipal, que antes ficava em torno da praça), o que fez com que aumentasse a população local, hoje bem maior devido à abertura de muitas ruas ao longo da Estrada do Cabuçu e à construção de vários condomínios.

Autor da Pesquisa: Adinalzir Pereira LamegoProfessor de HistóriaBibliografia:Livro: O Velho Oeste Carioca Volume III. Mansur, André Luís. Ibis Libris, 2016.

Veja aqui uma excelente opção para morar no Vale do Rio da Prata. O Residencial Alcácer Prata. Mais um empreendimento de sucesso da OHF Engenharia. Ainda tem apartamentos a venda com corretores no local.

Autor: Adinalzir Pereira Lamego

Anúncio
Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossa Casa

Ozonioterapia: Revolução na Saúde com Deluniize Santos

Publicado

no


A ozonioterapia tem ganhado destaque nos últimos anos como uma prática terapêutica inovadora e eficaz. Mas o que exatamente é essa técnica, e como ela pode beneficiar nossa saúde? Para responder a essas e outras perguntas, entrevistamos a Dra. Deluniize Santos, naturopata e biomédica especialista em ozonioterapia.

O que é Ozonioterapia?
A ozonioterapia é um tratamento que utiliza o ozônio, uma forma ativada do oxigênio, para tratar diversas condições médicas. O ozônio é conhecido por suas propriedades antimicrobianas, anti-inflamatórias e moduladoras do sistema imunológico. Ele pode ser aplicado de várias maneiras, incluindo injeções, insuflações e aplicação tópica, dependendo da condição a ser tratada.

Curiosidades sobre o Ozônio

Natureza Tripla: O ozônio é composto por três átomos de oxigênio, diferentemente do oxigênio que respiramos, que tem dois. Essa terceira molécula torna o ozônio extremamente reativo, capaz de destruir bactérias, vírus e fungos.

Anúncio

Uso medicinal Histórico: O uso medicinal do ozônio remonta à Primeira Guerra Mundial, onde foi utilizado para desinfetar feridas e tratar infecções.

Versatilidade: Além do uso médico, o ozônio é empregado na purificação da água e no tratamento de resíduos industriais, devido às suas potentes propriedades desinfetantes.

Importância e Relevância na Saúde
A ozonioterapia tem se mostrado eficaz em uma ampla gama de condições, desde doenças crônicas como diabetes e artrite até infecções agudas e feridas de difícil cicatrização. Ela é valorizada por ser uma terapia complementar que pode ser integrada a outros tratamentos médicos tradicionais, oferecendo uma abordagem holística à saúde.

Direito de imagem autorizada.

Entrevista com Dra. Deluniize Santos


Vanessa Andrade (VA): Dra. Deluniize, poderia nos contar um pouco sobre sua formação e como se interessou pela ozonioterapia?

Deluniize Santos (DS): Hoje sou graduada em estética e cosmética, naturopatia biomédica, esse semestre graduanda em biomedicina, sou especialista em algumas áreas como, tricologia e terapia capilar, gerontologia, nutrição ortomolecular, que complementam a medicina integrativa, dentre elas a ozonioterapia, que é uma Prática Integrativa e Complementares (PICS), sou assídua em pelo menos 4 congressos anuais, fora atualizações.

VA: Quais são os principais benefícios da ozonioterapia?

Anúncio

DS: os benefícios da ozonioterapia são inúmeros, uma vez que podemos dizer que complementam o tratamento de mais de 200 patologias, tem um efeito fungicida, microbicida, antiviral, cicatrização de feridas, estímulo circulatório, antiinflamatório, analgésico…

VA: Poderia compartilhar alguns casos de sucesso que teve com a ozonioterapia?

DS: Nossa! tenho muitos casos maravilhosos de sucesso, como de feridas varicosas, pés diabéticos, hemagiomas, endometriose, hiperplasia benigna, artroses de joelho, quadril, ostepetrose, hérnias de disco, lúpus, artrites reumatóide, vários problemas relacionados a microbiota, intestinal, acnes…

VA: Quais são as contra-indicações ou efeitos colaterais da ozonioterapia?

DS: O ozônio é contra indicado quando administrado sistêmica mente devido a G6PD, glicose 6 fosfato deficiência de desidrogenase (favismo, anemia hemolítica aguda), hipertireoidismo, trombocitopenia, instabilidade cardiovascular grave, infarto agudo do miocárdio, hemorragia maciça, hemocromatose, pacientes recebendo tratamento com cobre e ferro por administração intravenosa, ou qualquer pacientes descompensados e gestante( essa não faço nada, a não ser mimar, da carinho. kkk

VA: Como a ozonioterapia pode ser integrada a outros tratamentos médicos?

Anúncio

DS: De forma complementar, a ozonioterapia não é uma terapia alternativa, é uma terapia adjuvante e deve ser realizada junto com e não ao invés de o tratamento alopático.
A portaria n 702, de 21 de março de 2018 preconiza o reconhecimento e incorporação das Medicinas Tradicionais e Complementares nos sistemas nacionais de saúde, denominadas pelo Ministério da Saúde do Brasil como Práticas Integrativas e Complementares.

VA: Quais são suas perspectivas para o futuro da ozonioterapia?

DS: Meu sonho é que realmente seja integrada e oferecida a população, pois em outros países já é incluído como triagem, mas creio que falta muito pouco para se tornar realidade no Brasil, já que é um tratamento terapêutico de baixo custo baixo índice de intercorrências, com grandes possibilidades de integração com outros recursos e tratamentos.

Agradecemos à Dra. Deluniize Santos por compartilhar seu conhecimento e experiências com a ozonioterapia. Esta prática terapêutica está realmente revolucionando a forma como abordamos a saúde, oferecendo novas esperanças e opções de tratamento para muitos pacientes.

Para saber mais sobre ozonioterapia e outras terapias inovadoras, continue acompanhando a Dra nas redes sociais (@deluniize.santos)

Anúncio
Continuar Lendo

Nossa Casa

Além das Cicatrizes: Desvendando as Camadas da Violência Doméstica sob a Ótica da Lei Maria da Penha e sua influencia no direito das famílias

Publicado

no

No tecido intricado das relações familiares, há uma realidade muitas vezes oculta, mas inegavelmente presente: a violência doméstica e familiar. Este não é apenas um problema privado, mas sim um desafio social que transcende fronteiras, classes e culturas. É uma realidade que exige um olhar profundo, uma análise compassiva e, acima de tudo, uma ação eficaz.

Dra Carla Santos- advogada

Ao abordar a temática da violência doméstica, é essencial compreender não apenas seus diferentes tipos e manifestações, mas também suas ramificações no âmbito jurídico e familiar. É neste contexto que a Lei Maria da Penha emerge como um farol de esperança e justiça, oferecendo não apenas proteção às vítimas, mas também um arcabouço legal abrangente para lidar com esse fenômeno complexo.

Neste artigo, mergulharemos nas profundezas da violência doméstica e familiar, explorando não apenas suas manifestações superficiais, mas também suas implicações intrincadas nas dinâmicas familiares e no universo jurídico.

suas ramificações no âmbito jurídico e familiar. É neste contexto que a Lei Maria da Penha emerge como um farol de esperança e justiça, oferecendo não apenas proteção às vítimas, mas também um arcabouço legal abrangente para lidar com esse fenômeno complexo.

Anúncio

Neste artigo, mergulharemos nas profundezas da violência doméstica e familiar, explorando não apenas suas manifestações superficiais, mas também suas implicações intrincadas nas dinâmicas familiares e no universo jurídico.

Investigaremos como a violência afeta não apenas os indivíduos envolvidos, mas também o tecido da sociedade em que vivemos. Mais do que isso, examinaremos como a Lei Maria da Penha e outras legislações pertinentes se entrelaçam com questões como pensão, divórcio e guarda, moldando não apenas o presente, mas também o futuro das famílias afetadas.

Este é um convite para uma jornada de compreensão e reflexão. Uma jornada que nos desafia a ir além das aparências e a enfrentar as complexidades subjacentes. Uma jornada que, esperamos, inspire não apenas uma mudança de perspectiva, mas também ações concretas em direção a um futuro onde a violência doméstica seja uma página virada na história das famílias.

Gênero como Categoria Analítica:

Ao abordar a violência doméstica e familiar sob a ótica da Lei Maria da Penha, é crucial adotar uma abordagem que reconheça não apenas as diferentes manifestações da violência, mas também as nuances de gênero que permeiam essas dinâmicas. Nossa análise histórica revela como os papéis de gênero tradicionalmente atribuídos têm servido como pontos de partida para a justificação e perpetuação da violência doméstica. Os estereótipos de masculinidade e feminilidade têm sido historicamente usados para legitimar a dominação masculina e a subjugação das mulheres, criando um terreno fértil para a violência baseada no gênero.

Além disso, as definições biológicas baseadas no sexo têm sido frequentemente invocadas para justificar desigualdades de poder e tratamentos discriminatórios. No entanto, é importante ressaltar que a violência doméstica não conhece fronteiras demográficas ou sociais. Mulheres deficientes e mulheres negras, em particular, enfrentam uma interseção de opressões que as tornam ainda mais vulneráveis à violência e à marginalização.

Anúncio

Escuta Ativa e Reconhecimento da Violência Psicológica:

Um aspecto crucial na abordagem da violência doméstica é a prática da escuta ativa. Reconhecer e validar as experiências das vítimas é o primeiro passo para romper o ciclo de violência. A violência psicológica, em particular, merece atenção especial, pois pode ser uma das formas mais insidiosas e debilitantes de abuso. Ao minar a autoestima e a autonomia da vítima, a violência psicológica prepara o terreno para outras formas de abuso, perpetuando um ciclo de violência que afeta não apenas o indivíduo, mas também toda a família, infelizmente a existência de barreia para comprovação da violência psicologia vêem dificultando o caminho para tramite judicial.

Impacto da Violência Psicológica no Direito de Família:

No âmbito do direito de família, é evidente que a violência psicológica não apenas afeta a vítima direta, mas também tem repercussões significativas em todas as partes envolvidas. Desde a erosão dos laços familiares até o impacto no desenvolvimento emocional e psicológico das crianças, os efeitos da violência psicológica reverberam por toda a estrutura familiar, perpetuando um ciclo de trauma e sofrimento, o agressor consegue retirar a identidade da mulher, levando-a acreditar que não possui direitos e deveres, levando assim a esta mulher a crê que em uma possível separação seus direitos será anulados.

A medida que nos aprofundamos no intricado tecido da violência doméstica e familiar sob a égide da Lei Maria da Penha, torna-se claro que estamos diante de um desafio complexo e multifacetado. Ao longo deste artigo, exploramos não apenas os diferentes tipos de violência reconhecidos pela lei, mas também suas ramificações profundas nas dinâmicas familiares, sociais e legais.

A Lei Maria da Penha, desde sua promulgação em 2006, tem sido um farol de esperança para milhares de mulheres em todo o Brasil, oferecendo não apenas proteção legal, mas também reconhecimento e validação de suas experiências. No entanto, como qualquer legislação, ela está em constante evolução, buscando se adaptar a um mundo em rápida transformação.

Anúncio

O advento da era digital trouxe consigo novos desafios, especialmente no que diz respeito à violência virtual e ao assédio online. É fundamental que a Lei Maria da Penha continue a se aprimorar para enfrentar essas novas formas de violência, garantindo que todas as mulheres tenham o direito fundamental de viverem livres de medo e de violência, tanto no mundo físico quanto no virtual.

Além disso, é crucial ressaltar a importância das medidas protetivas como uma ferramenta vital na prevenção de tragédias futuras. Muitas vezes, essas medidas são o último recurso para mulheres em situações de perigo iminente, e devem ser prontamente disponibilizadas e efetivamente implementadas.

Ao encerrar este artigo, gostaríamos de expressar nossa gratidão pelo progresso alcançado até agora na luta contra a violência doméstica e familiar. No entanto, também reconhecemos que há muito trabalho a ser feito. Cada mulher que sofre violência merece justiça, segurança e dignidade. Que possamos continuar avançando juntos na construção de um mundo onde a violência não tenha lugar e onde todas as famílias possam prosperar em paz e harmonia.

Continuar Lendo

Nossa Casa

Exossomos e derivados de esperma de salmão: Vanguarda da Beleza

Publicado

no

Dra. Elaine Paixão, CRF-RJ 10250.

A busca pela beleza é uma constante na sociedade contemporânea, e avanços tecnológicos estão revolucionando os tratamentos estéticos. Entre esses avanços, substâncias exóticas ganham espaço neste cenário, mostrando-se eficazes e trazendo sofisticação nos procedimentos estéticos. Os exossomas, são vesículas secretadas de células tronco (stem cells) de placenta, de micróbios, ou plantas; e o PDRN (polidesoxirribonucleotídeo) extraído do esperma do salmão, são matérias primas que a Dra Elaine Paixão usa em suas clínicas de estética no Centro do Rio de Janeiro e em Campo Grande. No caso dos exossomas, os ativos são derivados da planta Rosa-Damasceno e de Centella Asiática e não de placenta, pois a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou apenas o uso dos vegetais no Brasil, até agora.

Independente da origem ser animal ou vegetal, os exossomas são o que há de mais moderno em regeneração tecidual. Eles são responsáveis pela reprogramação da célula, trazendo de maneira segura e eficaz um efeito regenerativo anti-inflamatório e anti-envelhecimento para a pele, cabelo e área íntima, e podem ser utilizados tanto associados com qualquer outro tipo de tratamento como monoterapia. Já o PDRN é um biorremodelador tecidual que consegue regenerar as células e estimular os fibroblastos a produzirem mais colágeno, além de inibir a degradação da elastina.

Melhora a elasticidade e a textura da pele, reduz rugas, linhas de expressão, cicatrizes, promove um efeito lifting natural e é uma ótima indicação para se tratar o melasma. O PDRN também auxilia na cicatrização de feridas e na melhora da aparência de estrias e celulite.

Anúncio

Finalidades de Uso dos Exossomas

1. Rejuvenescimento Facial e Corporal: Estimulando a produção de colágeno e elastina, os exossomas promovem a revitalização da pele, reduzindo rugas, linhas de expressão e flacidez.

2. Clareamento de Manchas: Com sua capacidade de modular a pigmentação da pele, os exossomas são eficazes no tratamento de manchas causadas pelo sol, envelhecimento ou melasma.

3. Hidratação Intensa: Penetrando nas camadas mais profundas da pele, os exossomas proporcionam uma hidratação duradoura, conferindo uma aparência radiante e saudável.

4. Crescimento Capilar: Ajuda na melhora da queda de cabelo e dos fios finos, atua no couro cabeludo contribuindo para promover a melhora do ambiente para o crescimento capilar, contribui para a ação anti-inflamatória, auxilia no controle de prurido causado pela inflamação e secura, colabora para o controle da secreção sebácea.

Finalidades de Uso do PDNR do esperma de salmão

Anúncio

1. Melhora da textura da pele: Promovida pela síntese de colágeno e elastina.

2. Melhora da firmeza da pele: Inibindo a degradação da elastina.

3. Clareamento da pele: Redução da hiperpigmentação pela inibição da melanogênese.

4. Anti Acne, Rosácea, Queimaduras, Alergias, Irritação da Pele, Dermatites, dentre outras de vermelhidão na pele: Exercendo uma ação anti-inflamatória.

5. Anti radicais livre: Protegendo de espécies reativas de oxigênio.

6. Anti-idade: Ajudando a reparar o DNA de tecidos danificados ou hipóxicos e restaurando a proliferação e o crescimento celular normal.

Anúncio

O PDRN também pode ser útil para combater a queda de cabelo e promover o crescimento do cabelo, embora sejam necessários mais estudos para avaliar esse efeito. Outra aplicação proposta PDRN de semen de salmão é para preparação da pele antes de outros procedimentos cosméticos minimamente invasivos, como lasers ou antes de procedimentos cirúrgicos, para reduzir o tempo de cicatrização, cicatrizes e, em geral, obter melhores resultados.

Administração dos ativos

Procedimento minimamente invasivo, anestesiado, conhecido por Indução Percutânea de Colágeno por microagulhas, técnica de roller. Popularmente conhecido como microagulhamento, que promove a abertura de microcanais na pele com o intuito de drug delivery (entrega de princípio ativo). Um bom diluente para os exossomos é o PDNR do esperma do salmão.

Quantidade de Sessões e Tempo de Intervalo

O número de sessões necessárias varia conforme as necessidades individuais de cada paciente e a finalidade do tratamento. A Dra. Elaine Paixão faz um plano de tratamento personalizado para cada caso, após avaliação minuciosa da pele de cada paciente, garantindo resultados sob medida para seus clientes. Mas, em média, são necessárias entre 3 a 4 sessões para tratamentos faciais e 5 a 7 sessões para tratamentos capilares, ambos os casos com intervalos de 15 dias.

uidados Pós Procedimento

Uso de protetor solar e cremes específicos para a manutenção dos resultados.

Anúncio

Vantagens

Os Exossomas e o PDRN do DNA do salmão têm ganhado cada vez mais adeptos no Rio de Janeiro e no Brasil, na medida que se tratam de técnicas alternativas inovadoras e eficazes para quem busca uma pele bem tratada e jovem, sem a necessidade de procedimentos mais invasivos e com resultados semelhantes.

Conclusão

Em suma, os exossomas representam a vanguarda da estética, conseguindo atuar como células tronco na saúde estética, oferecendo resultados extraordinários sob a expertise da Dra. Elaine Paixão. Sua abordagem personalizada e a utilização de tecnologias inovadoras garantem uma experiência única e transformadora, para a saúde, beleza e juventude da sua pele. Para ter uma pele mais bonita, jovem e saudável, procure a Dra Elaine Paixão e faça um cronograma da beleza personalizado.

A Dra. Elaine Paixão é Especialista em Harmonização Facial e Corporal, especialista em Vigilância Sanitária, Farmacêutica CRF-RJ 10250. Atende no Centro – RJ e em Campo Grande. Para entrar em contato e agendar uma consulta basta entrar no Instagram L (@dra.elainepaixao) , acessar o site www.elainepaixao.com ou chamar através do whatsapp 21 99375-5135.

Anúncio
Continuar Lendo

Mais Acessados

Copyright © 2021 | Nossa Casa Digital | Comércios Unidos Publicações Web LTDA - ME